HÁ 45 ANOS, ABC PRONTO PARA ESTREIA NA 1a DIVISÃO

No sábado, dia 9 de setembro de 1972, o ABC fazia o último treino para estrear no Campeonato Nacional de Clubes contra o CRB(AL).

O técnico Célio de Souza anunciava o time titular – que empataria no dia seguinte em 0x0 no novíssimo estádio Castelão: Tião; Preta, Edson, Nilson Andrade(na foto de camisa listrada) e Anchieta; William, Danilo Menezes e Alberi; Libânio, Jaílson e Soares.

Natal vivia sossego provincial com seus 300 mil habitantes. O fato mais grave nas páginas policiais era a fuga do viciado em
maconha Francisco Canindé Pinheiro da subdelegacia do bairro Dix-Sept Rosado.

No Cine Rio Grande, na esquina da Avenida Deodoro(Centro), Missão Matar, com Tarcísio Meira, censura 14 anos; No Cine Nordeste(Rua João Pessoa), Noites Sem Fim, com Sidney Poitier e Martin Landau, censura 18 anos. No Cine Rex(Avenida Rio Branco), Quando As Mulheres Paqueram, com Sandra Barsotti. No Olde(Alecrim), Girassóis da Rússia e no Panorama(Rocas), Tora, Tora, Tora.

 

SEGURANÇA, MISSÃO DE TODOS

O Jornal Tribuna do Norte publica neste sábado(9/9), o artigo Segurança, Missão de Todos, escrito pelo deputado federal Felipe Maia(Democratas/RN), que o blog reproduz:

SEGURANÇA, MISSÃO DE TODOS

​Felipe Maia

​Deputado Federal – Democratas/RN

​Nenhum tema é prioridade maior para os brasileiros e os potiguares que a segurança pública. Chegamos a índices aterrorizantes em todo o país e a números inimagináveis em nosso Estado, onde a população vive em pânico e sitiada pela criminalidade incessante. A segurança é missão de todos e, na responsabilidade de Coordenador da Bancada Federal do Rio Grande do Norte, quero afirmar aos nossos conterrâneos que estamos atentos e trabalhando.

​A violência fugiu ao controle a partir do mau gerenciamento dos recursos, do avanço da criminalidade em inversa proporção aos investimentos nas forças policiais e da necessidade premente de endurecimento do Código Penal Brasileiro. Asseguro que a bancada de senadores e deputados federais do Rio Grande do Norte está atuando e, recentemente, diante dos fatos e estatísticas alarmantes em nossa terra, reuniu-se com o Presidente Michel Temer em busca de soluções emergenciais como a permanência e aumento do efetivo da Força Nacional, cumprimento do envio de material do legado da Copa do Mundo e implementação do Plano Nacional de Segurança em nosso Estado . Por fim, reivindicamos a liberação de uma emenda de bancada para a área de segurança.

​A minha geração e as anteriores também , nunca viram um quadro igual ao de agora, sem querer jogar pedras no Governo do Estado que vive uma realidade de déficit financeiro semelhante ao de quase todas as administrações regionais. Mas é preciso apresentar contrapartida para apagarmos de nossos corações o cotidiano sangrento que gerou, até o fim de agosto, 1.647 assassinatos. É um número assustador. É superior 25,7 % ao número de mortes violentas do mesmo período – 1.310 em oito meses – registrado no ano passado.

​Agosto deixou um rastro de 226 assassinatos, um recorde negativo na história do Rio Grande do Norte. Os policiais passaram de caçadores de criminosos à caça. Isso é uma inversão de valores inadmissível. Com 16 mortes, já somos o 5o estado do Brasil em número de Policiais Militares vitimados. Quando cai morto um policial, elimina-se a última barreira entre o crime e o povo. Que se dê menos espaço a entidades ideológicas que defendem o marginal e se exalte o policial, assistindo-se às famílias daqueles que deram sua vida em defesa da sociedade.

Repito: meu artigo não tem a intenção de tripudiar ninguém. Mas de mostrar que apenas o compartilhamento de esforços será possível para que possamos, juntos, enfrentar uma guerra aparentemente perdida. As medidas do Governo Federal são necessárias? sim, mas temporárias, outros Estados enchem a mesa da Presidência da República de idênticas reivindicações. Cabe ao Governo do Estado dar sua contrapartida. Jogo de culpas só piora o que está péssimo.

Tenho estado frequentemente com o Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, que é do meu partido, e vejo nele a preocupação constante em fazer tramitar projetos importantes para a segurança pública. Temas polêmicos que se misturam à crise política que vivemos, mas não podem esperar.

Uma das pautas que considero fundamentais: mudanças no Estatuto do Desarmamento, uma das maiores aberrações do Governo do PT, que simplesmente desarmou os cidadãos e não combateu o armamento dos bandidos nem fechou nossas fronteiras, por onde entra o arsenal de guerra que todos os dias tira a vida de policiais honestos e de cidadãos de bem na batalha urbana que toma conta do Brasil.

Defendo que o cidadão tenha o direito de portar sua arma dentro de critérios racionais e moderados, com o mínimo de treinamento e conhecimento no manuseio, para que a arma não se torne sua inimiga. Critérios sobre locais de uso, cursos básicos de segurança doméstica. Mas é preciso mudar, para que ao menos haja chance de defesa dos cidadãos pagadores de impostos e cumpridores dos seus deveres.

Também está em estudos o endurecimento de leis, tais como prescrições de pena e o dispositivo que permite a saída da cadeia de criminosos em feriados quando eles não se juntam às famílias, praticam crimes e voltam para os presídios para dormir, dificultando a investigação dos casos. Nós, parlamentares, estamos vigilantes. Nós estamos alertas, nós também temos família, amigos, perdemos pessoas queridas em homicídios, latrocínios e assaltos. Segurança é missão de todos, que todos nos unamos. Do jeito que está, não teremos condições para remediar o estrago de tanto tempo.

INGRESSOS PARA ABC x SANTA CRUZ

O ABC joga no sábado contra o Santa Cruz às 19 horas na Arena das Dunas na sofrida marcha contra o quase certo rebaixamento para a Série C.

Os ingressos antecipados podem ser comprados até hoje pelo site da Arena.

NO RN, SÃO 1.704 ASSASSINATOS ESTE ANO

Sangue, sangue, sangue.

São 1.704 assassinatos no Rio Grande do Norte em 2017.

Recorde.

E marca de gestão.

Governo da Morte.

GOVERNADORES E O DESFILE CÍVICO

Os governadores republicanos do Rio Grande Do Norte compareceram aos desfiles cívicos.

Vamos lá, de 1955 pra cá.

Dinarte Mariz, foi.

Aluízio Alves, foi;

Monsenhor Walfredo Gurgel, foi;

Cortez Pereira, foi;

Tarcísio Maia, foi;

Lavô, foi;

Zé Agripino foi(duas vezes);

Garibaldi Filho(duas vezes);

Wilma de Faria(duas vezes);

Poupada a governadora Rosalba Ciarlini, o atual é campeão. Foge até do respeito à Pátria.

7 DE SETEMBRO E O PEQUENO DAVI

Cada 7 de setembro era uma aventura quando fui menino.

Acordava cedo, corria à Avenida Hermes da Fonseca contemplando homens, armas e tanques.

E não havia liberdade.

Era Ditadura.

País redemocratizado, adolescente, depois adulto, continuei frequentando os desfiles.

As Forças Armadas cumpriam a missão de proteger e defender a Pátria.

No 7 de setembro de 2017, me revejo no pequeno Davi, 2 anos de idade, cumprindo o dever cívico desde cedo, ao lado do pai, Davi Alvares. A mãe é Sílvia Arruda, filha do ex-deputado Leonardo Arruda, avô mais do que coruja.

Davi, encantado e encantador, cumprimentou e passou em revista as tropas, encarnando o Brasil que a gente quer no futuro.

Puro e bom.

STF ABRE INQUÉRITO PARA INVESTIGAR GOVERNADOR DO RN

Com informações de Mariana Oliveira, TV Globo e reprodução pelo G1:

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou abertura de inquérito no STF para investigar o deputado federal Fábio Faria (PSD-RN) e o governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD), em razão das delações premiadas da JBS. As suspeitas são de corrupção passiva e caixa dois, ou seja, fraude na prestação de contas ao deixar de declarar valores recebidos, crime previsto no artigo 350 do Código Eleitoral.

O pedido foi feito no fim de junho pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que também solicitou ao ministro Luiz Edson Fachin, responsável pela homologação das delações da JBS, sorteio para novo relator por não ter relação com a Lava Jato. Rosa Weber recebeu o caso em agosto e a decisão de abrir inquérito é do dia 4 de setembro, mas foi publicada no processo somente na quarta-feira (6).

O delator disse que a J&F repassou R$ 10 milhões sob condição de que a Companhia de Água e Esgoto do Estado do Rio Grande do Norte fosse privatizada, “dando conhecimento prévio do edital a empresa para que pudessem alterá-lo a seu favor, a fim de obter vantagens competitivas em detrimento ao mercado”.

 

 

PEDIDO ARQUIVAMENTO DA INJUSTIÇA CONTRA MARCELO NAVARRO

 

 Pedido arquivamento pelo procurador Janot sobre ilações infundadas a respeito do ministro do STJ, acima de tudo natalense, literato, americano, poeta, boêmio, poliglota, gênio sem chuteiras Marcelo Navarro.

Comose fosse possível a redundância dele mesmo. Verdade o tempo todo. Com lirismo, pois é humano. Inquieto, cantante , fã de Mandrake, herói cinematográfico do craque Rubem Fonseca.

O texto de Marcelo, vítima do crime de linchamento moral, chicotada na alma:

Recebi e compartilho com vocês:

Meus queridos:

Hoje o Procurador-Geral da República pediu o arquivamento da investigação contra mim.
Agora, com a honra restaurada, não posso deixar de agradecer o apoio e a confiança de todos vocês durante esses tempos tão difíceis.
Agradeço, notadamente, àqueles mais chegados, que aliviaram minha angústia e ajudaram nessa travessia tão dura.
E aos que, independentemente da proximidade, defenderam meu nome de público ou nas redes sociais contra a maledicência, a injúria, a difamação e mesmo a calúnia.
Fui premiado com amigos excepcionais, além de uma mulher e filhos que foram minha rocha, meu esteio, e me alimentaram de paciência, esperança e fé, enfim vitoriosas!
Muito, muito obrigado, em meu nome e no de toda a minha família.
Deus os abençoe!

Marcelo Navarro RIBEIRO DANTAS

O factual:

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu nesta quarta-feira (6), o arquivamento da investigação contra o ministro potiguar Marcelo Navarro Ribeiro Dantas, do Superior Tribunal de Justiça.

Janot seguiu o inquérito da Polícia Federal que não encontrou qualquer indício de interferência política na nomeação do potiguar para o STJ.

Com o pedido de arquivamento do Ministério Público Federal, o processo segue para análise do Supremo Tribunal Federal (STF).

 

 

GOVERNO DO ESTADO PROIBIDO DE CONTINUAR MEXENDO EM DINHEIRO DOS APOSENTADOS

O Tribunal de Contas do Estado (TCE/RN) proibiu, em sessão realizada novos saques nos recursos oriundos do extinto Fundo Previdenciário do Estado do Rio Grande do Norte. Além disso, a Corte de Contas determinou o ressarcimento, num prazo de 30 dias, dos valores eventualmente sacados em razão da Lei Complementar nº. 603/2017.

Segundo o voto do conselheiro Paulo Roberto Chaves Alves, acatado pelos demais conselheiros, o Governo do Estado sancionou, no último dia 28 de agosto, a Lei Complementar 603/2017, que autorizou a utilização dos recursos de duas aplicações financeiras integrantes do Fundo Financeiro do RN para o pagamento a aposentados e pensionistas, com previsão de ressarcimento a partir de 2020.

Com a decisão do TCE, novos saques estão proibidos e valores sacados devem ser devolvidos. O voto teve como base representação formulada pela Diretoria de Despesa com Pessoal e acatou parecer do Ministério Público de Contas.

Até 2014 o sistema de previdência do Estado do RN continha o Fundo Previdenciário, que era superavitário e englobava servidores que entraram no serviço público após 2005, e o Fundo Financeiro, que era deficitário e englobava servidores que ingressaram antes desse período. Com o advento da Lei Complementar 526/2014, os dois fundos foram unificados e os saques para pagamento de servidores ligados ao antigo fundo financeiro com recursos do fundo previdenciário foram autorizados. Os valores disponíveis foram utilizados integralmente, com exceção do montante de R$ 321 milhões, aplicados numa carteira de investimentos de longo prazo. A carência de algumas aplicações venceu e o Executivo sancionou a Lei Complementar 603/2017, autorizando a sua utilização.

O risco, segundo o voto, é que a continuidade dos saques esgote os recursos disponíveis no Fundo Financeiro (FUNFIRN), comprometendo o equilíbrio econômico do sistema de previdência. “Caso persista a possibilidade de saques, a situação certamente causará um total colapso previdenciário em curtíssimo espaço de tempo, com a possibilidade de esgotamento dos recursos do FUNFIRN e a inexistência de perspectiva de sua recomposição – sobretudo quando não se apresenta um estudo sequer que comprove capacidade financeira de reposição dos recursos sacados por parte do Estado”, aponta o conselheiro.

A MONTANHA QUE GEDDEL PARIU

A imagem dos zilhões atribuídos a Geddel Vieira Lima, sujeito dos mais asquerosamente pernósticos que o jornalismo me fez conhecer, quando ministro e no auge da soberba, pra mim, é o quadro do Brasil atual.

É a montanha que Geddel pariu.

Gerando milhares a morrer em hospitais.

Policiais tombando com armamento obsoleto  ao combater criminosos.

E Geddel chora.

Parindo lágrimas de corvo.

Insaciável.