FLÁVIO ROCHA ARRASA POLÍTICOS

 

O mega, super, hiper, líder, bilionário Flávio Rocha, do Grupo Guararapes, ensaia candidatura presidencial e simplesmente trucidou a classe política no Twitter:

“A política é importante demais para ser entregue aos políticos. ”

O homem não abriu exceções.

Em agosto, teve gente disputando a porrada e babador um convite para ver Flávio Rocha receber homenagem da Câmara Municipal de Natal, certamente por entregar de graça ao povo a produção de suas indústrias e shopping.

Isenção fiscal não entrou na pauta de FR.

Deputado federal nos anos 1980/90 convivendo com suplente de vereador.

Ficou maracatu-tei-tei para quem o adula.

Aqui e alhures por aí.

FEBRE AMARELA: SINTOMAS, TRANSMISSÃO E VACINA

O Ministério da Saúde anunciou campanha de vacinação contra a febre amarela para os meses de fevereiro e março. Na ação, São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia receberão doses fracionadas da vacina. Nos demais estados, onde já existe recomendação de imunização contra a febre amarela, a vacina é ofertada na dose-padrão, de acordo com a rotina de imunização dos postos e outras unidades de saúde.

São Paulo e Rio de Janeiro adiantaram o início da campanha para a próxima semana. A campanha foi convocada para evitar que o surto de casos recentes em algumas regiões se alastre. De julho de 2017 a 14 de janeiro deste ano, o país registrou 35 casos da doença.

A orientação endossada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e adotada pelo Ministério da Saúde é a de que uma dose da vacina é o suficiente para imunizar a pessoa por toda a vida.

Segundo o ministério, os casos estão concentrados principalmente na Região Sudeste e envolve pessoas que vivem na área rural ou que tiveram contato com ambientes silvestre por motivos de trabalho ou lazer.

Veja detalhes da doença e como se proteger:

Sintomas

A febre amarela é uma doença viral que causa dores no corpo, mal-estar, náuseas, vômitos e, principalmente, febre. Os sintomas duram em média três dias. Em alguns pacientes, o vírus da febre amarela ataca o fígado. São as complicações hepáticas que levam as pessoas infectadas a ficar com uma cor amarelada, daí o nome febre amarela. Segundo o Ministério da Saúde, estima-se que em torno de 30% das pessoas que contraem a doença podem morrer, se não forem diagnosticadas precocemente. Por isso, a recomendação é a de que o paciente deve buscar imediatamente atendimento adequado nas unidades de saúde.

Transmissão

A febre amarela não é transmitida de pessoa para pessoa, nem de macaco para seres humanos. Os macacos são os principais hospedeiros do vírus, mas os únicos vetores de transmissão da doença são os mosquitos silvestres Haemagogus e o Sabethes. No meio silvestre, os mosquitos picam o macaco, que depois de infectado pelo vírus pode ser picado por outro vetor e este, por sua vez, transmite para o homem.

No caso da área urbana, a transmissão ocorre pela picada do mosquito Aedes aegypti. O Ministério da Saúde ressalta, no entanto, que a possibilidade de contágio no meio urbano é remota e informa que não há registro de infecção da doença pelo ciclo urbano desde 1942. Com a construção de conjuntos residenciais e condomínios em áreas ecológicas, ambiente onde vivem os mosquitos que transmitem a doença, o risco de transmissão aumenta.

Vacina fracionada

O Ministério da Saúde esclarece que os casos recentes da doença estão localizados em áreas específicas com alta densidade populacional. Para evitar que a transmissão se alastre para outras regiões, a pasta decidiu abrir campanha de vacinação com doses fracionadas. Segundo o Programa Nacional de Imunizações, a dose fracionada é de 0,1 ml, enquanto que a dose-padrão é de 0,5 ml.

O fracionamento ocorre para ampliar a capacidade de imunização da população. O objetivo do Ministério é vacinar 21 milhões de pessoas até o fim de fevereiro, sendo 16,5 milhões com a dose fracionada e outras 5,2 milhões com a dose-padrão.

A dose fracionada será disponibilizada em 54 municípios de São Paulo, 15 do Rio de Janeiro e oito cidades da Bahia. Nos outros estados e municípios, se estiverem na lista de locais recomendados para imunização contra a febre amarela, a população será vacinada com a dose-padrão, disponível no programa de vacinação regular dos postos de saúde.

Estudos comprovam que a dose fracionada não causa reações adversas e tem a mesma eficácia da dose completa. A dose fracionada já foi utilizada pela OMS, na República do Congo, que enfrentou um surto urbano de febre amarela em 2016. O fracionamento permitiu que a organização vacinasse quase 8 milhões de pessoas em apenas 15 dias e interrompeu o surto na área urbana do país.

Quem deve tomar a vacina?

A vacina em dose-padrão pode ser aplicada em qualquer pessoa saudável, a partir dos nove meses de vida. A dose fracionada também é direcionada a pessoas sem histórico de doenças graves, mas só pode ser tomada a partir dos dois anos.

Idosos e pessoas com doenças que alteram o sistema imunológico ou que apresentam alterações hematológicas não podem tomar a vacina sem recomendação médica. Em caso de impossibilidade tomar a vacina, os pacientes devem adotar outras medidas de proteção contra a doença, como uso de repelente, roupas que cobrem todo o corpo, telas nas casas, entre outras formas de evitar contato com o mosquito transmissor.

Quem já tomou uma dose da vacina, mesmo que há mais de dez anos, não precisa reforçar a proteção com outra dose.

EM 1971, MONSENHOR WALFREDO DECRETAVA CORTE DE DESPESAS

Monsenhor segurava grana

No dia 21 de janeiro de 1971, uma quinta-feira solar em Natal, o governador Monsenhor Walfredo Gurgel reuniu a imprensa à tarde no Palácio Potengi e anunciou pacote de redução de despesas.

Principais medidas:

Proibição:
– De compra e aluguel de imóveis;
– De pagamento de diárias;
– De ajudas sociais;
– De lançamento de editais para licitação de obras;
– De viagens para dentro e fora do Estado salvo em caráter emergencial e com autorização do governador;
– De compra de material de expediente;
– De conserto de veículos e de bens imóveis.
– De qualquer nomeação;
O Monsenhor economizava para entregar o cargo ao seu sucessor, o professor Cortez Pereira, indicado pelo Regime Militar, com saldo no caixa do Tesouro Estadual.

Cortez tomaria posse dia 15 de março e as medidas do Monsenhor desagradaram vários auxiliares. “Peçam demissão”, sugeriu o governador. Ninguém saiu.

No Teatro Alberto Maranhão, a irreverência da atriz Dercy Gonçalves no espetáculo Vi, Vim, Venci, do diretor Ari Soares.

ABC e América treinavam para a primeira rodada da Taça Cidade do Natal no Estádio Juvenal Lamartine, marcada para domingo(24). O América bateria o Ferroviário(2×0), gols de Toia e Zezé.

Depois de estar perdendo de 2×0 do Força e Luz, o ABC virou para 4×2, marcando Maia, Edvaldo Araújo, Gonzaga e Gilson Lira.

Há 47 anos.

CASCATA É O QUE INTERESSA

O jogo com o Baraúnas foi ruim?

E daí?

O que interessa para o América foi vencer.

De 1×0.

Gol de Cascata.

Uma miragem real de criação.

NOS 35 ANOS DA MORTE DE GARRINCHA, LANCES GENIAIS

No dia 20 de janeiro de 1983, morreu Manoel dos Santos, Garrincha, 49 anos. De complicações decorrentes do alcoolismo.

Garrincha foi o maior driblador do futebol.

Um gênio superado apenas por Pelé.

Bicampeão mundial pelo Brasil em 1958 e 1962,só foi derrotado por um adversário implacável: sua vida.

 

“NÃO SIRVO AOS INTERESSES DA GLOBO”; VEJA EURICO TRIPUDIANDO

Don Euricone botou a boca no mundo após as eleições no Vasco, que consagraram sua inoxidável supremacia,  batendo na Rede Globo:

DON EURICONE DE MIRANDEZZI

Don Euricone de Mirandezzi continua mandando no Vasco.

Dividiu a oposição, puxou o vice Alexandre Campello para o seu lado e tornou-o presidente.

Campello ganhou.

Mas quem vai costurar e dar o nó é Euricone.

Podiam mudar o estatuto e passar o clube para o nome dele.

Capisce?

Entende.

Para ganhar de um profissional tipo Eurico Miranda, nem sobrenatural.

ABC COM MENINO LOBO E INGRESSO CARO

O ABC joga com Potiguar motivado pela belíssima vitória de 3×1 no Ferroviário em Fortaleza. Pela Copa do Nordeste.

O garoto Matheus, o Mogli(Menino Lobo) da Frasqueira vale o ingresso.

Ainda que 40 reais uma arquibancada seja caro demais para uma torcida pobre e integrada por muitos servidores estaduais sem receber salários.

Quem tem grana ou é sócio vai se chatear, mas paciência, penso também nos desprovidos.

Uma cadeira a 80 paus paga quem pode.

ABC x Potiguar neste domingo (21) às 16 horas no Frasqueirão.

GARIBALDI, ÁLVARO E WALTER EM PARELHAS

O MDB puro de origem se encontrou em Parelhas(Região do Seridó) na Festa de São Sebastião.

Recepcionados pelo prefeito Alexandre Petronilo e o seu pai, o médico e ex-prefeito Antônio Petronilo, decano Bacurau, o senador Garibaldi Filho, o vice-prefeito de Natal, ex-deputado Álvaro Dias – líder no Seridó – e o deputado federal Walter Alves

Demonstrações de fé, conversas com o povo e discretos acordes da campanha de 2018.

PENAS MAIS DURAS PARA MOTORISTA DE “RACHA”

Está pronto para ser votado na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado, o PLS 690/2011, que altera o Código de Trânsito Brasileiro (Lei nº 9.503/1997) para estabelecer penas mais severas para os motoristas que participarem de corridas não autorizadas em vias públicas, popularmente conhecidas como “rachas” ou “pegas”.

A proposta, de autoria do senador licenciado Ricardo Ferraço (PSDB-ES), dá nova redação ao artigo 308 do Código, para retirar um trecho do texto que estabelece a ressalva de que o motorista apenas poderá ser penalizado por participar de “rachas” quando houver um acidente ou dano potencial ao público.

Atualmente, a penalidade prevista em lei para quem comete este crime é de detenção de seis meses a dois anos, multa e suspensão ou proibição de se obter a habilitação para dirigir veículo automotor.

O projeto em análise na CCJ prevê penalidades mais duras, de acordo com os efeitos causados pelo criminoso: pena de 1 a 4 anos para lesões leves; de 1 a 5 anos para lesões graves; de 2 a 8 anos para lesões gravíssimas; e de 4 a 12 anos para quando a conduta resultar em morte.

O texto estabelece ainda aumento de um terço a metade da pena, caso a condução do veículo seja feita por motorista nas seguintes condições: sem carteira de habilitação, suspenso ou cassado o direito de dirigir; com permissão para dirigir ou carteira de habilitação de categoria diferente da do veículo que esteja conduzindo; se estiver nas proximidades de escolas, hospitais, estações de embarque e desembarque de passageiros, ou onde haja grande movimentação ou concentração de pessoas; se estiver transportando menor, idoso, gestante ou pessoa que tenha seu discernimento reduzido.