7 DE SETEMBRO E O PEQUENO DAVI

Cada 7 de setembro era uma aventura quando fui menino.

Acordava cedo, corria à Avenida Hermes da Fonseca contemplando homens, armas e tanques.

E não havia liberdade.

Era Ditadura.

País redemocratizado, adolescente, depois adulto, continuei frequentando os desfiles.

As Forças Armadas cumpriam a missão de proteger e defender a Pátria.

No 7 de setembro de 2017, me revejo no pequeno Davi, 2 anos de idade, cumprindo o dever cívico desde cedo, ao lado do pai, Davi Alvares. A mãe é Sílvia Arruda, filha do ex-deputado Leonardo Arruda, avô mais do que coruja.

Davi, encantado e encantador, cumprimentou e passou em revista as tropas, encarnando o Brasil que a gente quer no futuro.

Puro e bom.

STF ABRE INQUÉRITO PARA INVESTIGAR GOVERNADOR DO RN

Com informações de Mariana Oliveira, TV Globo e reprodução pelo G1:

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou abertura de inquérito no STF para investigar o deputado federal Fábio Faria (PSD-RN) e o governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD), em razão das delações premiadas da JBS. As suspeitas são de corrupção passiva e caixa dois, ou seja, fraude na prestação de contas ao deixar de declarar valores recebidos, crime previsto no artigo 350 do Código Eleitoral.

O pedido foi feito no fim de junho pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que também solicitou ao ministro Luiz Edson Fachin, responsável pela homologação das delações da JBS, sorteio para novo relator por não ter relação com a Lava Jato. Rosa Weber recebeu o caso em agosto e a decisão de abrir inquérito é do dia 4 de setembro, mas foi publicada no processo somente na quarta-feira (6).

O delator disse que a J&F repassou R$ 10 milhões sob condição de que a Companhia de Água e Esgoto do Estado do Rio Grande do Norte fosse privatizada, “dando conhecimento prévio do edital a empresa para que pudessem alterá-lo a seu favor, a fim de obter vantagens competitivas em detrimento ao mercado”.

 

 

PEDIDO ARQUIVAMENTO DA INJUSTIÇA CONTRA MARCELO NAVARRO

 

 Pedido arquivamento pelo procurador Janot sobre ilações infundadas a respeito do ministro do STJ, acima de tudo natalense, literato, americano, poeta, boêmio, poliglota, gênio sem chuteiras Marcelo Navarro.

Comose fosse possível a redundância dele mesmo. Verdade o tempo todo. Com lirismo, pois é humano. Inquieto, cantante , fã de Mandrake, herói cinematográfico do craque Rubem Fonseca.

O texto de Marcelo, vítima do crime de linchamento moral, chicotada na alma:

Recebi e compartilho com vocês:

Meus queridos:

Hoje o Procurador-Geral da República pediu o arquivamento da investigação contra mim.
Agora, com a honra restaurada, não posso deixar de agradecer o apoio e a confiança de todos vocês durante esses tempos tão difíceis.
Agradeço, notadamente, àqueles mais chegados, que aliviaram minha angústia e ajudaram nessa travessia tão dura.
E aos que, independentemente da proximidade, defenderam meu nome de público ou nas redes sociais contra a maledicência, a injúria, a difamação e mesmo a calúnia.
Fui premiado com amigos excepcionais, além de uma mulher e filhos que foram minha rocha, meu esteio, e me alimentaram de paciência, esperança e fé, enfim vitoriosas!
Muito, muito obrigado, em meu nome e no de toda a minha família.
Deus os abençoe!

Marcelo Navarro RIBEIRO DANTAS

O factual:

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu nesta quarta-feira (6), o arquivamento da investigação contra o ministro potiguar Marcelo Navarro Ribeiro Dantas, do Superior Tribunal de Justiça.

Janot seguiu o inquérito da Polícia Federal que não encontrou qualquer indício de interferência política na nomeação do potiguar para o STJ.

Com o pedido de arquivamento do Ministério Público Federal, o processo segue para análise do Supremo Tribunal Federal (STF).

 

 

GOVERNO DO ESTADO PROIBIDO DE CONTINUAR MEXENDO EM DINHEIRO DOS APOSENTADOS

O Tribunal de Contas do Estado (TCE/RN) proibiu, em sessão realizada novos saques nos recursos oriundos do extinto Fundo Previdenciário do Estado do Rio Grande do Norte. Além disso, a Corte de Contas determinou o ressarcimento, num prazo de 30 dias, dos valores eventualmente sacados em razão da Lei Complementar nº. 603/2017.

Segundo o voto do conselheiro Paulo Roberto Chaves Alves, acatado pelos demais conselheiros, o Governo do Estado sancionou, no último dia 28 de agosto, a Lei Complementar 603/2017, que autorizou a utilização dos recursos de duas aplicações financeiras integrantes do Fundo Financeiro do RN para o pagamento a aposentados e pensionistas, com previsão de ressarcimento a partir de 2020.

Com a decisão do TCE, novos saques estão proibidos e valores sacados devem ser devolvidos. O voto teve como base representação formulada pela Diretoria de Despesa com Pessoal e acatou parecer do Ministério Público de Contas.

Até 2014 o sistema de previdência do Estado do RN continha o Fundo Previdenciário, que era superavitário e englobava servidores que entraram no serviço público após 2005, e o Fundo Financeiro, que era deficitário e englobava servidores que ingressaram antes desse período. Com o advento da Lei Complementar 526/2014, os dois fundos foram unificados e os saques para pagamento de servidores ligados ao antigo fundo financeiro com recursos do fundo previdenciário foram autorizados. Os valores disponíveis foram utilizados integralmente, com exceção do montante de R$ 321 milhões, aplicados numa carteira de investimentos de longo prazo. A carência de algumas aplicações venceu e o Executivo sancionou a Lei Complementar 603/2017, autorizando a sua utilização.

O risco, segundo o voto, é que a continuidade dos saques esgote os recursos disponíveis no Fundo Financeiro (FUNFIRN), comprometendo o equilíbrio econômico do sistema de previdência. “Caso persista a possibilidade de saques, a situação certamente causará um total colapso previdenciário em curtíssimo espaço de tempo, com a possibilidade de esgotamento dos recursos do FUNFIRN e a inexistência de perspectiva de sua recomposição – sobretudo quando não se apresenta um estudo sequer que comprove capacidade financeira de reposição dos recursos sacados por parte do Estado”, aponta o conselheiro.

A MONTANHA QUE GEDDEL PARIU

A imagem dos zilhões atribuídos a Geddel Vieira Lima, sujeito dos mais asquerosamente pernósticos que o jornalismo me fez conhecer, quando ministro e no auge da soberba, pra mim, é o quadro do Brasil atual.

É a montanha que Geddel pariu.

Gerando milhares a morrer em hospitais.

Policiais tombando com armamento obsoleto  ao combater criminosos.

E Geddel chora.

Parindo lágrimas de corvo.

Insaciável.

A IDOLATRIA INACEITÁVEL AOS BANDIDOS

Anistias e Direitos dos Manos -Movimento Assassinos Noiados Sádicos -precisam se reciclar em matemática.

 

O tempo todinho a ladainha: “Suspeitos dos assaltos em SP levaram 140 tiros.”

Pergunto: Quem usa fuzil de guerra, é reincidente, é suspeito ou bandido?

Pois bem, se o problema é matemática é dividir 140 pelos 10 mortos que agiam em flagrante reagindo aos policiais.

Resultado: cada um levou 14 balaços , quantidade honrosa e suficiente para nunca mais aterrorizar gente de bem.

QUEM AGRADOU E DECEPCIONOU TITE

Da Revista Veja:

Foram bem

Willian – Na vaga que Philippe Coutinho, que ainda não estava 100% fisicamente, o meia-atacante do Chelsea fez duas grandes partidas e marcou o gol brasileiro no empate contra a Colômbia, em bela finalização. Praticamente garantiu sua ida à Rússia.
Alisson – Na posição que mais gera discussão entre os torcedores, Alisson se fixou como titular. Sofreu apenas um gol (o terceiro sob comando de Tite) e mostrou segurança nas vezes em que foi exigido.
Fernandinho – Foi titular contra a Colômbia, na vaga de Casemiro, e fez boa partida. Recebeu até elogios do treinador brasileiro: “Fernandinho jogou muito, como toda a equipe. Ele deu mais agressividade ao time, pois eu precisava segurar o James (Rodríguez)”

Decepcionaram

Renato Augusto – Esteve abaixo da média nas duas partidas. Não criou situações de gol como vinha fazendo nos outros jogos sob comando de Tite. Foi substituído por Coutinho contra Equador e Colômbia.
Neymar – Até fez uma boa partida contra a Colômbia, com dribles e uma assistência, mas esteve muito aquém contra o Equador. Muito individualista, perdeu bolas e não deu sequência às jogadas. Não marcou gols.
Filipe Luís – Titular no lugar do suspenso Marcelo contra a Colômbia, fez uma partida abaixo da média, com quatro erros de passe e pouco apoio ao ataque.

TRIBUNA DO NORTE DESTACA BLOG

A coluna Viver, do jornalista Thiago Cavalcanti e o premiadíssimo blog do Heitor Gregório, ambos da Tribuna do Norte registraram nosso trabalho, o que muito nos honra.

Foi na velha redação da Tribuna, pelas mãos dos jornalistas Antônio Melo, Woden Madruga e Agnelo Alves, há 29 anos, que iniciamos a luta no jornalismo, hoje meio mundano, mas mesmo assim apaixonante.

Lá, conheci o melhor repórter entre tantos: Aluízio Alves.

 

MÁRCIA MAIA E O DESASTRE DA VIOLÊNCIA: “SETE MORTES POR DIA”

A deputada estadual Márcia Maia (PSDB) repercutiu, na sessão desta terça-feira (05), na Assembleia Legislativa, os elevados índices de violência registrados no mês de agosto pelo Observatório da Violência Letal Intencional. O Obvio/RN apontou o mês como o mais violento da história do Rio Grande do Norte.

“Olhe a situação grave que passa a segurança pública do Rio Grande do Norte”, alertou a deputada, dizendo que o Estado contabiliza uma média de sete assassinatos por dia, sendo uma a cada três horas e meia. “No ano de 2016 que foi o mais violento, foram registrados mais de 1.900 homicídios, mas 2017 já está superando”, afirmou a parlamentar.

PREFEITURA DE NATAL LIDERA INVESTIMENTOS,DIZ ESTUDO

O Índice Firjan de Gestão Fiscal(IFGF), aponta a Prefeitura de Natal entre as primeiras do Brasil em investimentos, sendo a segunda do Nordeste. O IFGF é uma ferramenta de controle social que tem por objetivo estimular a responsabilidade administrativa, possibilitando maior aproveitamento da gestão fiscal dos municípios bem como das decisões dos gestores quanto à aplicação dos recursos.

Lançado em 2012, O IFGF traz para debate a forma como os impostos pagos são administrados pelas prefeituras e é nesse ítem que é destaque a gestão do prefeito Carlos Eduardo(PDT). O índice é construído a partir dos resultados fiscais das próprias prefeituras – informações obrigatórias e repassadas anualmente pela Secretaria do Tesouro Nacional.