DEIXA PACHEQUINHO TRABALHAR NO AMÉRICA

Pachequinho, novo técnico do América, nasceu para o futebol na gloriosa safra liderada pelo exuberante meia Alex, do Coritiba.

Anunciá-lo foi o bastante para o fogo cerrado das críticas injustificadas.

O América tentou medalhões e desconhecidos, foi e voltou com nomes que não dão certo.

Deixa Pachequinho, campeão pelo Coritiba em 2017, tentar mostrar seu valor.

Depois, que se fale bem ou mal.

ATRIZ GLÓRIA MENEZES INTERNADA COM INFECÇÃO RESPIRATÓRIA

A atriz Glória Menezes está internada com infecção respiratória no Hospital Copa Star, em Copacabana, na zona sul da cidade do Rio de Janeiro. “Segundo a assessoria de imprensa do hospital, a artista apresentou melhora com quadro clínico controlado e está sob acompanhamento médico do Dr. Barros Franco.”

Glória Menezes atuou em quase 40 telenovelas, além de filmes e peças de teatro. Seu último personagem na televisão foi Stelinha Carneiro de Alcântara na novela Totalmente Demais.

ZECA PAGODINHO NÃO COMBINA COM DÓRIA

O mundo de Zeca Pagodinho é sua comunidade, Xerém(RJ), seus parceiros de samba e porre.

Zeca Pagodinho é cerveja, alegria e bagunça.

Daí não caber o almofadinha João Dória no universo do sambista.

Dória quis faturar em cima de Zeca.

Que, malandro escolado, fechou a cara e fez careta para aceitar, contrariado, uma foto(sozinho nunca) com o prefeito de São Paulo que vive em todo o lugar, menos na capital onde deveria estar.

Zeca Pagodinho tem cheiro de povo.
João Dória exala a perfumaria dos nobres.

São incompatíveis.

GOVERNO DA BAHIA FAZ GOZAÇÃO COM VITÓRIA APÓS PERDER PARA ABC

A boa relação entre o Governo do Estado e o Vitória não impediu que o twitter oficial da autarquia ironizasse a derrota do rubro-negro para o ABC(3×1) pela Copa do Nordeste, no último sábado (10).

O twitter do Governo respondeu ao comentário de um torcedor do Bahia: “Parabéns ao @governodabahia pela segurança nesse Carnaval. Até agora, a única porrada que eu vi, foi do @ABCFC pra cima do @ECVitoria. Foi uma surra. Covardia… ☻” Em reposta, o perfil oficial respondeu: “Mas eles mereceram.”

MONOBLOCO BALANÇA PONTA NEGRA


O palco principal do Polo Ponta Negra recebeu na noite dessa segunda-feira (12) de carnaval um dos shows mais aguardados pelo público, o grupo carioca Monobloco.

“Amo o som do Monobloco e vim da Paraíba assim que soube que eles estariam no carnaval aqui de Natal”, confessou Joana Salgado.

O vocalista Pedro Luís, destacou o crescimento e fortalecimento do Carnaval de Natal. “O carnaval daqui está gigantesco e nos sentimos honrados de participar de mais um ano dessa festa linda”, disse.

O grupo mesclou vários ritmos passando pelo samba, xote, reggae e funk. “Amor de Carnaval” composição de Moraes Moreira especialmente para o Monobloco encantou a todos.

No palco, o Rei Momo Silvano Jeferson e a Rainha Rozeane Albuquerque do Carnaval Multicultural de Natal caíram no samba com enredos clássicos da Estação Primeira Mangueira.

Um mar de gente tomou conta de toda a Praça Ecológica e não parou um só minuto durante às mais de duas horas de show, que contou ainda com um pedido especial de “bis”, gentilmente atendido pelo grupo.

O prefeito Carlos Eduardo prestigiou o show ao lado do secretário da Cultura Dácio Galvão. “Monobloco realizou um lindo espetáculo e já convoquei para os próximos carnavais de Natal”, enfatizou o prefeito.

DuSouto

Antes da apresentação principal, o palco do Polo Ponta Negra recebeu o grupo potiguar, DuSouto.

Com um som autoral, o trio formado por Paulo Souto, Gabriel Souto e Gustavo Lamartine animou o público com repertório eclético e hits do último trabalho “Conecta”.

“Foi muito especial tocar no carnaval da nossa cidade, entregamos a nossa música e o público nos recebeu muito bem”, destacou Gabriel Souto.

Polo Petrópolis tem dia de folia para todas as idades

A atração potiguar Dusouto fechou a noite de folia, nesta segunda-feira (12), no Polo Petrópolis do Carnaval Multicultural de Natal. A banda que também se apresentou no Polo Ponta Negra não diminui o ritmo e agitou a multidão no largo do Atheneu. No repertório da banda, músicas autorais que fazem sucesso nos mais de 10 anos de trabalho.

A festa em Petrópolis começou a tarde com a criançada brincando nos blocos infantis, na Praça das Flores.

A criançada ainda acompanhou os pais quando as apresentações se iniciaram no palco principal. A Sesi Big Band levou música de qualidade para um público exigente.

Durante a apresentação da banda, o prefeito Carlos Eduardo e o secretário de cultura Dácio Galvão estiveram no palco e depois cumprimentaram foliões e comerciantes locais.

Entre os comerciantes, Dona Silvia, 83 anos, proprietária da Confeitaria Atheneu. Ela revelou que este era o seu 25º carnaval. Foi o seu estabelecimento quem deu início ao baile de Máscaras, que atualmente abre o Carnaval de Natal. “Estou muito feliz, o carnaval está lindo”, disse, antes de conversar com o prefeito Carlos Eduardo.

Entre os foliões do Polo Petrópolis a “realeza do carnaval” fez questão de dançar junto com os súditos antes de subir ao palco. Rozeane Ferreira e Silvano Jeferson, rainha e rei, aproveitaram o som da banda para mostrar samba no pé. “Sou rainha pela segunda vez e este ano estou impressionada com a quantidade de pessoas nas ruas em todos os polos da festa”, comentou Rozeane.

O rei Momo decretou que a alegria continue até o último momento. “A festa está perto do fim, está maravilhosa e espero que continue assim, com muita alegria e também muito respeito”, disse.

Na sequência da festa, subiu ao palco a banda Fobica do Jubila. Ao som de “Natal como eu te amo”, o grupo agitou os presentes.

Em seguida foi a vez de Maestro Forró e Orquestra Popular da Bomba do Hemetério manter o povo em alto astral. O público foi ao delírio com o agito da rapaziada e até uma ciranda improvisada foi realizada. O show teve a participação de Chico Betowen e do Maestro Gilberto Cabral.

Já era meia-noite quando Dusouto subiu ao palco para finalizar a festa em grande estilo. Os foliões seguiram no ritmo e demonstraram que ainda têm fôlego para mais uma noite.

DIA – 13/02 (TERÇA-FEIRA)

POLO MULTICULTURAL PONTA NEGRA

BLOCOS

16h00 – Folia dos Estandartes

SHOWS

PALCO PRAIA DE GENIPABU

16h00 – RN Autoral
17h00 – Talma e Gadelha
18h00 – Camarones Orquestra Guitarrística
19h00 – Mc Pruiguissa

PALCO DA PRAÇA PRAIA DE PONTA NEGRA

19h00 – Família Pádua
21h00 – Antônio Nóbrega
23h00 – Ricardo Chaves

POLO MULTICULTURAL PETRÓPOLIS

Muitos Carnavais

17h – Concentração: Praça Aristófanes Fernandes (Praça das Flores). Orquestra de Frevo, Dodora Cardoso e Rodolfo Amaral.
18h30 -Saída. Destino: Largo do Atheneu

SHOWS

19h – Rildo Lima
21h – Isaque Galvão
23h – Show de Roberta Sá

POLO MULTICULTURAL CENTRO HISTÓRICO

BLOCOS

16h00 – Galo dos Perturbados

POLO MULTICULTURAL ROCAS

BLOCOS

16h00 – Os Grávidos

POLO MULTICULTURAL REDINHA

BLOCOS

09h00 – Os Cão
16h00 – Os Bem Amados
17h00 – Banda do Siri

SHOWS

PALCO PRAÇA DO CRUZEIRO

21h00 – Yrhan Barreto
23h00 – Dom Cardoso e Seus Metais

PALCO LARGO DO BUIÚ

21h00 – Artur Soares
23h00 – Kelly Wange
01h00 – Chico e Naty Calazans

BLOCOS DIVERSOS

16h30 – A.R.P.I. – Sede

CIRCUITO DE TRIOS – POLO PRAIA DOS ARTISTAS

Saída: Praia do Forte (15h). Chegada: Praia dos Artistas

ARTIGO VALÉRIO MESQUITA: NOS PORÕES DA MEMÓRIA

NOS PORÕES DA MEMÓRIA

Valério Mesquita*
Mesquita.valerio@gmail.com

01) Corria a era da graça de 1960 e lá se vão cinquenta e oito anos. Década das profundas transformações políticas e sociais no Estado e no país. Mas quero mesmo me referir à minha aldeia Macaíba que era administrada por Alfredo Mesquita Filho pela terceira vez. Estava filiado ao velho PSD e ligado politicamente ao major Theodorico Bezerra. Vencera a eleição de prefeito em 1958, renunciando ao mandato de deputado estadual numa luta extremada com o genro e sobrinho Leonel Mesquita, da UDN, prestigiado pelo governador Dinarte Mariz. Dois candidatos ao governo do Rio Grande do Norte pontificavam naquele ano: Djalma Marinho e Aluízio Alves, ambos udenistas. Alfredo Mesquita estava propenso a ficar com o segundo, não fosse a reconciliação do casal, obrigando-o, ante a divisão do seu PSD, a ficar com o candidato situacionista a fim de pacificar a família e não se repetir o sofrimento pessoal da campanha anterior. Politicamente entrou na contramão da história, mas manteve intacta a união da família pelo resto da vida, com o sacrifício da derrota eleitoral por noventa votos.

02) Em 1965, feriu-se nova batalha. Dessa vez, o próprio Dinarte Mariz pela Oposição, enfrentaria o monsenhor Walfredo Gurgel para governador. O velho contra o padre. Dessa disputa, lembro-me de uma missão do economista Roosevelt Garcia junto a Alfredo Mesquita, chancelada pelo então governador Aluízio Alves. O meu pai, ao deixar a prefeitura de Macaíba em 1963, se desfizera de sua propriedade rural “Uberaba”, no município de Macaíba, acossado pelas dívidas políticas. Eu cursava a Faculdade de Direito da UFRN aos 23 anos de idade e nunca assumira um emprego. Nem na famosa “vaga existente”. A visita significava que o “Trem Bacurau” apitava à minha porta. O maquinista era precavido e competente e sabia lidar com o temperamento do seu tio Alfredo Mesquita. Inicialmente, Roosevelt me antecipou o assunto: um cargo de fiscal de rendas em troca do alheamento de Alfredo Mesquita no pleito de outubro. De minha parte, solteiro, universitário e desempregado, a proposta era de um arcanjo e não de um parente. A conversa entre os dois, pontilhada de cautela e prudência, pude observar a curta distância, o que me permitiu ensaiar discreta torcida. Sabia que o sobrinho predileto do meu pai, era o melhor interlocutor naquele instante. Mas, a resposta do velho Mesquita foi não. Às vezes me pergunto: caso a resposta tivesse sido afirmativa, teria mudado o curso da minha vida? Só o astrólogo do universo sabe. A eleição foi perdida por quatrocentos votos, mas Alfredo Mesquita manteve-se firme na Oposição até falecer, no dia 12 de abril de 1969. A palavra dada e a fidelidade mantida eram sua marca registrada.

03) O tempo passou e quase tudo mudou. Em 1974, já prefeito de Macaíba, o meu primeiro encontro político com o senador Dinarte Mariz ocorreu na candidatura do seu filho Wanderley para deputado federal. Eu já havia me definido por Grimaldi Ribeiro, em quem votava desde 1970. O velho senador solicitou-me que dividisse os votos para deputado federal. Não concordei, alegando o meu compromisso e a dificuldade da reeleição do seu correligionário. Conversa difícil que deixou profundo mal-estar. Dinarte conseguiu outros apoios. Mas houve no curso da campanha um choque de passeatas, que resultou num discurso patético do senador contra o prefeito. “Esse rapaz”, falou, “está desenvolvendo em Macaíba uma tática comunista. Amanhã mesmo, vou comunicar ao presidente Geisel o que está se passando aqui”. O fato é que essa ameaça nunca se concretizou. Mas, me valeu o veto radical de Dinarte ao meu nome para prefeito indireto de Natal. O governador nomeado, Tarcísio Maia, que me preferia, por sugestão de Djalma Marinho, sucumbiu à imposição do velho senador que apontou Vauban Bezerra de Faria. Mais uma vez, ficou provado que a fidelidade também tem o seu preço.

(*) Escritor

VEM AÍ MINISTÉRIO DA SEGURANÇA PÚBLICA

O presidente Michel Temer planeja anunciar, após o carnaval, a criação do Ministério Extraordinário da Segurança Pública. A TV Globo apurou que a nova pasta deverá ser criada por medida provisória (MP). Uma das atribuições do ministério será desenvolver ações de combate à criminalidade.

A criação de uma pasta da Segurança Pública foi proposta pelo ministro da Justiça, Torquato Jardim, e vem sendo debatida desde novembro de 2017. Além de Torquato e Temer, participam das discussões os ministros Raul Jungmann (Defesa) e Sergio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional).

Na semana passada, Temer bateu o martelo em razão do agravamento da crise de segurança. O texto da MP, inclusive, já está pronto e o governo avalia nomes para a função.

Pela proposta, Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) saem da alçada do Ministério da Justiça e ficarão subordinados ao novo ministério. A pasta contará com a estrutura já existente no Ministério da Justiça.

Já o Ministério da Justiça, apurou a TV Globo, seguirá desenvolvendo políticas preventivas de combate às drogas e programas de recuperação de ativos no exterior, de política de estrangeiros e refugiados, defesa do consumidor e antitruste e políticas antipirataria.

CARLOS EDUARDO E O REFUGIADO

O prefeito de Natal, Carlos Eduardo incomoda.

Sacode a cidade de ponta a ponta e enlouquece a oposição subterrânea, agarrada no desespero de detalhes de uma zombaria chamada carnaval, aliás, o maior da história.

A milícia digital não suporta.

Nem cala nem consente.

“Vaiaram Carlos Eduardo!”, se contorcem as hienas subsidiadas.

E o povão em formigueiro, abraçando o prefeito.

A personalidade do Sr. Governador é refletida nas postagens de ciúme e ódio.

Governador que, por sinal, ninguém sabe por onde anda, refugiado nas cinzas do próprio fracasso.

É melhor ficar escondido mesmo.

 

 

WILMA, ÁGUIA GUERREIRA

Força, majestade, luta para guerrear.
A águia simboliza a valentia.
Foi bem escolhido o tema para homenagear a ex-governadora e ex-prefeita de Natal, Wilma de Faria, que morreu ano passado batalhando até o fim.

A singela distinção da Escola Águia Dourada, encheu de saudade o  carnaval de Natal.

Uma mulher liberta, inquieta, indomável.

Uma águia que voou para as nuvens do longe.

Wilma não partiu.
Sobrevoa, vigilante.

DADO CAVALCANTI TAMBÉM SEM CLUBE

Da nova geração, Dado Cavalcanti está pronto.

Uma boa para o América?