HORÁRIO DE VERÃO PODE ACABAR

O governo federal está avaliando se mantém ou extingue, nos próximos anos, a adoção do horário de verão nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do país. Em nota ao G1, a Casa Civil da Presidência da República confirmou que “está avaliando a conveniência ou não do tema horário de verão”.
Segundo a nota, o tema é de competência do Ministério de Minas e Energia. O G1 tentou contato com o ministério e com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), e aguardava retorno até a publicação desta reportagem. Não existe um prazo formal para que a decisão seja tomada.

NO RIO GRANDE DA MORTE, O DESABAFO DE UMA VÍTIMA QUE ESCAPOU

“Sinto que a violência está tomando conta do país, do RN, e ninguém faz nada”. As palavras são do secretário de Saúde de Paraú, Antônio Rogério Peixoto Neto, vítima de uma bala perdida na noite desta quinta-feira (20) em Natal. O secretário foi baleado durante um tiroteio, no qual um homem morreu. A declaração, prestada ao Portal G1, é como se fosse um libelo de desespero e impotência de toda uma população refém dos criminosos e de um governo absolutamente néscio(incompetente, incapaz, inepto).

 

E pior: indiferente.

No mortômetro do Estado são mais de 1.700 assassinatos em 2017.

 

ABC E O DINHEIRO PAGO POR DISON

O Tribunal de Contas do Estado(TCE) mandou o líder do governo, deputado estadual Dison Lisboa devolver R$ 7 mil e setecentos reais pagos ao ABC Futebol Clube.

O ABC informa  que este dinheiro foi a cota do clube na inauguração do Estádio Nazarenão em Goianinha, base eleitoral de Dison. Em 2007.

O CLUBE MAIS BRASILEIRO

A penúltima estrofe do hino do Corinthians(SP) exclama:

 

Corinthians grande

Sempre altaneiro

És do Brasil

O clube mais brasileiro.

 

Verdade. O Corinthians é o mais brasileiro do futebol brasileiro no Brasil da esperteza, da sacanagem e do jeitinho.

 

Do país em que:

Trabalhador assalariado é otário;

Corrupção virou doença e não safadeza;

Rico é cleptomaníaco e pobre é ladrão;

Bandidos dão toque de recolher;

Sentencencia-se por linchamento moral;

Trabalhador paga dívida de quem roubou;

 

Corinthians – o clube mais brasileiro – provou de outro chavão bem nacional: Aqui se faz, aqui se paga.

 

Ganhou do Vasco com uma jogada de vôlei do atacante Jô, o ético.

 

Três dias depois, é eliminado pelo Racing da Argentina da Copa Sul-Americana reclamando da arbitragem. Malandro sempre encontra um mais malandro.

POVO DEVE DECIDIR PELO ESTATUTO DO DESARMAMENTO

O senador Sérgio Petecão(PSD/AC) pode fazer respirar os cidadãos brasileiros. Ele vai pedir plebiscito para que a população decida pelo fim do Estatuto do Desarmamento – ou Passe Livre para armar bandido -, como relator da matéria na Comissão de Constituição e Justiça. Ele prevê a votação em dezembro.

 

A julgar pela vontade dos eleitores, a quem os parlamentares devem satisfação, será uma goleada. Na enquete do Senado, 187. 192 pessoas votaram pelo plebiscito. Somente 7.429 foram contra. Será um grande passo para a defesa dos homens e mulheres de bem. Se é guerra, que morra o inimigo, o mal, o crime.

INTERVENÇÃO MILITAR ONDE É NECESSÁRIO

 

O general Hamilton Mourão tem todo o direito de defender intervenção militar no Brasil.

 

 

É a opinião dele, o livre pensamento.

 

Claro que intervenção no país, uma nova Ditadura, deve ser repudiada por todos.

 

Seja ela de Direita ou de Esquerda.

 

A democracia é tão indispensável que o General Mourão falou o que bem entendeu.

 

E quem é contra, também.

 

 

Na tirania, quem falava, escrevia ou, no máximo, pensava, apanhava ou morria.

 

 

O comandante Villas Boas resolveu do modo certo a questão que é de caserna.

 

Intervenção federal é urgente na segurança pública.

 

O Exército tomar conta de todo o combate ao crime.

 

A situação é de guerra, adequada para utilização das Forças Armadas. E as forças policiais perdem pela falta de aparelhamento ou descaso dos governos estaduais.

 

Que o Exército vá às ruas com os heróicos policiais militares e civis.

 

Enquanto o Ministro da Defesa, que entende do assunto tanto quanto eu de hemodinâmica, aparece dizendo besteira na televisão.

 

Contra o crime, que o General Mourão monte em seu blindado e combata os marginais.

 

Poderia até começar por Natal, capital do Rio Grande da Morte.

 

E pronto.

 

O que é ruim se muda no voto.

 

 

HÁ 45 ANOS, ALBERI DAVA SHOW E NATAL VENDIA 300 CARROS NOVOS

Campos marca o terceiro do Nacional

No dia 20 de setembro de 1972, o ABC empatava em 3×3 com o Nacional(AM) pelo Brasileiro da Primeira Divisão. Em desempenho sublime, Alberi fez dois gols. Abriu 2×0. O centroavante Campos descontou, mas Libânio fez 3×1. Em duas falhas do goleiro Tião, Campos marcou dois para o Nacional e empatou um jogo praticamente ganho no Estádio Castelo Branco(depois Machadão).

Campos,emprestado pelo Atlético(MG) ao Nacional, seria punido no ano seguinte com um ano de suspensão por jogar dopado.

O ABC: Tião; Sabará, Edson, Nilson Andrade e Anchieta; Maranhão, Danilo Menezes e Alberi; Libânio, Everaldo(Elias) e Soares. Nacional(AM): Edson Borracha; Piola, Jurandir, Fausto e Almir; Jorginho, Mário e Laci(Pedrilho); Ismael, Campos(Nourival) e Reis. Público: 22.376.

No mesmo dia, o Tribunal Regional Eleitoral informava o eleitorado do Rio Grande do Norte para as eleições municipais: 507.113 eleitores.

Revendedoras de automóveis comemoravam a venda média de 300 carros novos por mês, sendo os mais procurados: Opala, Fusca, Corcel, Kharman Ghia, Variant e TL.

O presidente do Conselho Estadual de Cultura, Alvamar Furtado, desmentia o fechamento da entidade por falta de condições de funcionamento.

Na área policial(nada parecida com a de agora), dois homens eram preso por tumulto no baile do Quintas Clube.

AMÉRICA NÃO PODE SER “LABORATÓRIO DE PRESIDENTES”

A crise do América se, por um lado, assusta os experientes a assumir seu leme , atiça pretendentes sem a mínima convivência com a gestão de um clube grande.

Sim, o América está na Série D, fez uma má temporada, mas é uma entidade do Rio Grande do Norte e do Nordeste.

Sua torcida é enorme e suas conquistas, memoráveis. Tem um estádio para concluir e modestas, mas concretas, perspectivas de receita.

Portanto, deve ser liderado por quem não faça o clube de laboratório para outras intenções, quem sabe, eleitorais.

O América – é verdade – teve presidentes políticos candidatos e eleitos, mas de longa quilometragem nos meandros do clube.

Em suma, ninguém pode fazer do América, laboratório pessoal.

E, pelas sombras que falam nos ventos quentes do Tirol, é pouco provável que se aceitem nomes tidos como “novos” e sem vivência americana.

Só pra lembrar, mais de 10 presidentes renunciaram e não se aceita mais essa rotina no Conselho Deliberativo.

Se quem será é um problema.

Quem quer ser pode ser ainda mais.

VERGONHA: BORIS CASOY CONDENADO POR HUMILHAR GARI

O apresentador Boris Casoy e a TV Bandeirantes foram condenados a pagar indenização de R$ 60 mil por danos morais ao varredor José Domingos de Melo, que participou de uma vinheta de ano novo veiculada em um dos telejornais do canal, em dezembro de 2009.
José Domingos conta que se sentiu humilhado pelos comentários preconceituosos do apresentador. “Fui abordado pela equipe da Rede Bandeirantes solicitando que desejasse felicitações de ano novo para veiculação na TV, mas não imaginava que minha participação no programa renderia deboche, preconceito e discriminação”, lamentou.
Na ocasião, após as imagens terem ido ao ar, Casoy – sem saber que o áudio estava sendo transmitido – comentou com colegas de estúdio: “Que merda, dois lixeiros desejando felicidades do alto das suas vassouras. O mais baixo da escala do trabalho”.

SENADO APROVA PRESTAÇÃO DE CONTAS SIMPLES PARA MUNICÍPIOS

O Plenário do Senado aprovou em segundo turno, a proposta que estabelece a prestação de contas simplificada para municípios de pequeno porte (PEC 77/2015). A medida, de iniciativa do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), favorece a adoção de regras mais simples para a celebração de convênios e transferências de créditos da União e estados. A PEC havia sido votada em primeiro turno em agosto, foi aprovada por unanimidade pelo Plenário e agora segue para a análise da Câmara dos Deputados.

Atualmente, os pequenos e grandes municípios seguem os mesmos critérios de prestação de contas, o que acaba prejudicando as administrações municipais de menor porte, que sofrem com a burocracia. A expectativa é de que a medida simplificará o funcionamento de mais de 60% dos municípios brasileiros, assim considerados aqueles com até 15 mil habitantes.

Com a aprovação da PEC, a obrigatoriedade dos municípios de prestar contas e publicar balancetes nos prazos fixados em lei ao arrecadarem seus impostos será diferenciada para os de menor porte. Os órgãos e entidades da administração pública dispensarão a eles um “tratamento jurídico diferenciado”, ao simplificar a liberação de recursos e a fiscalização das contas prestadas, inclusive quando se tratar de transferências voluntárias entre os entes da federação.

Um dos objetivos da PEC é evitar a demora na liberação de recursos e a suspensão de repasses de convênios em decorrência de trâmites burocráticos. Na prática, a definição das novas regras de prestação de contas ainda deverá ser feita pelos parlamentares por meio de projeto de lei complementar, depois que a PEC for aprovada na Câmara dos Deputados.